terça-feira, 27 de janeiro de 2009

ir-te-ás e ficarei só

eras-me os dias
todos os meu anseios
meu desejo impresso na suave curvatura do teus seios
corpo feito das minhas poesias

triste e efémera  é a eternidade
às palavra me agarro com desespero
vãs fundações desta minha cidade
já há muito cá não vens e nem eu te espero

habitam-na somente as ilusões perdidas
refugiadas nas suas esquinas
nos seus vãos de escadas
vaga lembrança de carícias prometidas
num país de tantas geografias inacabadas

resta-me na memória do negro dos teus olhos
de tanta luz adivinhada
cintilantes
com um brilho roubado à ânsia do futuro.
 vislumbre de uma anunciada caminhada
a vontade mais forte que o intransponível muro





leal maria

6 comentários:

Joana L. disse...

não sei de que foto falas :\
Bem, sinceramente não sei como responder a um comentário daqueles : ))
Não acho que mereça tais palavras ..

Obrigada por teres gostado da minha "arte".. é muito bom ouvir isso :)

beijinho*

Joana L. disse...

Gostei muito deste poema também :)

( engraçado que está uma estrofe igual no meu comentário ? )

Joana L. disse...

Gostei muito deste poema também :)

( engraçado que está uma estrofe igual no meu comentário ? )

leal maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joana L. disse...

Hum.. acho que já sei qual é.
Ora... uma foto minha a servir de inspiração? a sério? :)) não é possível!

Eu não sou modesta.. não sei.. sempre fui assim...
Publicado quais? :\
Eu também tenho por hábito escrever!
Oh céus... isto não parece uma conversa dirigida à minha pessoa :)) as coisas que dizes, não não :))

Joana L. disse...

Ora! não está nada fenomenal :))

Deixas-me sem palavras..

Ler o que escrevo... eu vou pensar :]
Sim, são minhas as palavras.

Quanto àquele desenho da mulher... fico muito feliz pelo que disseste ...se é realmente aquilo sentes. Esse desenho, não sei porquê, mas de todos os que fiz até agora é aquele a que mais me sinto ligada. Não sei.

Os livros, obrigada pelo conselho :) Agradeço esse "paternalismo" que demonstras para comigo .
Não sabia disso :), assim não te perguntarei porquê mas pergunto-me a mim porquê :))
Mais uma vez acho que as tuas palavras são demasiado :))